«

»

jun 01

Herbário: local de pesquisa, ensino e extensão!

Compartilhe...Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someoneShare on TumblrShare on LinkedIn

Herbário é uma coleção biológica de plantas desidratadas (secas) que foram coletadas e processadas de acordo com técnicas próprias e que tem como objetivo a formação de um banco de informações sobre a flora.

A planta coletada na natureza passa por processos que vão desde a secagem, identificação científica até o armazenamento do material no acervo. O material preparado recebe uma etiqueta que contém informações sobre dados observados no momento da coleta, procedência do material, nome popular e científico da espécie, família botânica a qual pertence e por fim um número de registro que indicará que a amostra se tornou patrimônio da Instituição a qual o herbário é vinculado.

A amostra obtida recebe o nome de exsicata que é a unidade básica da coleção de um herbário. As exsicatas apresentam flores e/ou frutos que são indispensáveis para identificação da espécie.Todas as exsicatas da coleção de um herbário são armazenadas em armários de metais em salas com umidade e temperatura controladas a fim de evitar a proliferação de fungos e insetos que possam eventualmente danificar o material e trazer prejuízos para as pesquisas científicas.

Herbários são importantes instrumentos de apoio à pesquisa científica. O material depositado nesse tipo de coleção serve como fonte para diversos estudos.

Fotografia: Lívia Constâncio de Siqueira

O acervo contém uma documentação científica importante que auxilia o pesquisador identificar o nome científico de uma planta por meio de comparação com o material devidamente identificado e confirmado por especialistas botânicos. Um herbário também é utilizado por alunos de diversos cursos relacionados à biologia vegetal, como Agronomia, Ciências Biológicas, Farmácia, Fitotecnia, dentre outros. Palestras e exposições sobre educação ambiental também podem ser realizadas em um herbário com o objetivo de conscientização.

O herbário não é a única coleção científica sobre plantas. Existem também coleções de frutos e sementes, chamadas carpotecas e
as xilotecas que são as coleções de madeiras. Sendo indispensável para o ensino da botânica, essas coleções possibilitam a capacitação de diversos profissionais.

As coleções botânicas são também um poderoso instrumento didático para o aprendizado de estudantes sejam eles do ensino superior ou básico, podendo ser uma excelente opção para esta última modalidade.

Utilizar coleções biológicas para difundir a ciência no ensino básico pode ser uma excelente alternativa para a fixação de conteúdos e a incorporação do aluno ao conhecimento prático sobre o meio natural levando-o a entender e respeitar a natureza. Assim, as coleções científicas são importantes centros de conhecimento e aprendizado, no entanto, em âmbito geral, pouco exploradas pelo ensino básico. Trabalhar com coleções didáticas em escolas pode funcionar de fora a estimular e despertar curiosidades nas aulas sobre o mundo natural.

Nesse sentido, o herbário se faz um instrumento em potencial para o ensino, não somente para esta modalidade, mas também para a pesquisa, e para a extensão. Com tantas utilidades, os herbários, contribuem de maneira geral para a difusão do conhecimento sobre a diversidade de plantas, a capacitação em botânica e também para a conscientização ambiental.

Mardem Michael Ferreira da Silva, Graduando em Ciências Biológicas, Bolsista do Programa PET-Educação. Universidade Federal de Viçosa Campus Florestal.

Lívia Constâncio de Siqueira, Bióloga, doutora em Botânica pela Universidade Federal de Viçosa – Campus Viçosa.

Deixe uma resposta