«

»

jun 19

Parque Estadual do Pau Furado: conservando “bens” naturais

Compartilhe...Tweet about this on TwitterShare on FacebookShare on Google+Email this to someoneShare on TumblrShare on LinkedIn

Todos sabemos a grande importância da criação de Unidades de Conservação: preservação da riqueza da biodiversidade, argumento já suficiente. De acordo com o site da Secretaria do Meio Ambiente, Unidades de conservação são definidas como um espaço territorial com características naturais de relevância ecológica e limites bem definidos, e tem como principal objetivo garantir a preservação da natureza. Estas são agrupadas em duas categorias no Sistema Nacional de Unidades de Conservação da Natureza (SNUC), Unidades de Proteção Integral e Unidades de Uso Sustentável. As primeiras visam preservar a natureza, sendo admitido apenas o uso indireto dos seus recursos naturais; as segundas defendem a conservação da natureza com o uso sustentável de parcela dos seus recursos naturais (Lei nº 9.985 de 18 de julho de 2000).

O Parque Estadual do Pau Furado, unidade de conservação localizada entre os municípios de Uberlândia e Araguari, se encaixa na categoria de Unidades
de Proteção Integral. Um parque visa principalmente a preservação de ecossistemas naturais que possuem relevância ecológica e beleza cênica, possibilitando a realização de pesquisas científicas e atividades de educação e interpretação de forma ambiental, de recreação de contato com a natureza e de turismo ecológico (Lei nº 9.985 de 18 de julho de 2000). Sua criação se deu principalmente como medida compensatória aos problemas ambientais resultantes da instalação de uma usina hidrelétrica na região, a qual alagou cerca de 2.500 hectares de extensão. Quanto ao seu nome, está diretamente relacionado com a antiga estrada que ligava os municípios de Uberlândia e Araguari, e da ponte que existia sobre o Rio Araguari. O “ponto de referência” para viajantes de onde se localizava a ponte, era uma árvore Copaíba que existia bem junto à estrada, a qual tinha o tronco oco devido ao fogo constante que colocavam em sua base, daí o nome “Pau furado”.

Tem como mascote a Águia-cinzenta (Urubitinga coronata), a qual, curiosamente, só se reproduz em um único lugar do Parque.

A região delimitada do Parque conta com uma ampla biodiversidade. Já foram identificadas inúmeras espécies, tanto de animais, quanto de plantas, sendo algumas ameaçadas de extinção, como o conhecido tamanduá-bandeira (Myrmecophaga tridactyla) e a arara-canindé (Ara ararauna). Quanto aos recursos hídricos, são preservadas principalmente duas cachoeiras, atributos de grande beleza cênica para a área. Diante disso, pode-se dizer que o Parque visa cumprir constantemente os objetivos de conservação propostos pelo SNUC, alertando para a completa necessidade de preservação dos recursos naturais por todos nós.

Profissionais capacitados nessa área de conservação trabalham constantemente com programas de educação ambiental para a população próxima assim como de outras cidades. A presença de uma bióloga no Parque é de total valia, já que sua atuação está principalmente relacionada com a conservação da biodiversidade, incentivando a aplicação de técnicas que cumpram esse objetivo. Para preservar de maneira correta é necessário conhecer, então quem sabe uma visita ao Parque Estadual do Pau Furado?! Essas e outras informações se encontram no blog oficial do Parque estadual: http://paufurado.blogspot.com.br/.

Rosana Mesquita Alves, graduanda do curso de Ciência Biológicas da Universidade Federal de Viçosa, Campus Rio Paranaíba MG.

Deixe uma resposta