PUM!

Peido, peidorrera, traque, bufão, flatular, balançar a roseira, largar um quentinho… Enfim, PUM! Magros, gordos, mulheres, homens, classe rica, classe pobre, sem classe… Não importa quem você seja, se nasceu na Terra, é Homo sapiens e possui um ânus, você peida. Alguns são mais fedidos que outros, mais rápidos, mais lentos, mais barulhentos… Alguns vêm acompanhados.

Afinal o que é o peido? Por que peidamos? Por que precisa feder a ovo podre?

Essa não é uma dúvida nova, em 1907 pesquisadores em São Francisco – EUA, já discorriam sobre flatulência, acreditando que sua causa não possuía ligação com o tipo de comida ingerida, mas com a tonicidade do músculo do intestino. Provavelmente ele nunca comeu um souffle de couve-flor da Ana! O gás seria decorrente de ar ingerido ou formado no interior do corpo, o que de certa forma está correta, exceto que naquela época não eram conhecidas as famosas bactérias que ajudam na digestão e que são responsáveis por grande parte do seu pum.

O ar que você ingere enquanto come, bebe ou masca chicletes é facilmente eliminada através do arroto, por isso quando você bebe refrigerante seu arroto cheira. Já aquele ar eliminado por baixo é devido à uma digestão incompleta de alimentos ou por falta de absorção dos mesmos. As colônias de bactérias que habitam nosso intestino geram gases como nitrogênio, metano, hidrogênio, dióxido de carbono como uma parte normal do metabolismo microbiano. Esses gases não possuem cheiro e não serem perigosos, porém, metano e hidrogênio são altamente combustíveis, por isso não é uma boa ideia acender um fósforo antes de peidar perto do orifício anal, você poderá queimar seus órgãos… O mais indicado seria peidar dentro de uma garrafa de vidro, fechá-la rapidamente e então testar se seu pum é combustível.

Se não são esses gases que causam o mau cheiro de defunto velho, o que seria? Infelizmente, alguns dos outros produtos gasosos da digestão bacteriana são muito menos amigáveis sobre o sistema olfativo. O antissocial sulfeto de hidrogênio (H2S) que cheira a ovos podres, e deus-me-livre, metil-mercaptano (CH3SH) que fede a repolhos mofados, são os mesmos usados por gambás como parte de seu arsenal. Diferente dos supracitados, esses dois gases são extremamente inflamáveis, tóxicos e perigosos para o ambiente. Então, pensando no bem da humanidade e no amigo de classe, evite peidar em locais confinados.

Mas afinal, diferentes alimentos causam uma frequência maior ou menor de traque? Diferente do que se pensava no começo do século passado, aquilo que você ingere possui um papel importante na intensidade e frequência do odor. Como regra geral, qualquer alimento que não possa ser totalmente digerido terá seu fim gasoso, fétido e apertado… Porém, bem libertador! Pensando nisso, mastiguem bem a comida.

Os principais culpados é um açúcar complexo chamado rafinose e as defesas químicas cheias de enxofre, ambos encontrados em repolho, brócolis, couve-flor, couve e todos os membros da família de vegetais brassica. Como nosso organismo é desprovido da enzima alpha-galactosidase que é capaz de metabolizar a rafinose, esse açúcar e mais tantos outros servem de substrato para a formação dos gases sem cheiros pelas nossas amigas bactérias. Já os produtos químicos contendo enxofre são transformados em sulfeto de hidrogênio e metil-mercaptano. Pronto! Está formado o nosso próprio arsenal químico.

Isso não significa que temos que comer menos vegetais, comer mais carnes ou se infestar de bactérias mais potentes. Na verdade cada indivíduo possui um intestino mais ou menos amigável para largar um quentinho, isso dependerá, não exclusivamente, das colônias que possui. Outro fato importante; não adianta aumentar o consumo de carne porque vacas também peidam e dessa forma quanto mais vaca mais ambiente poluído.

Agora alguns “flatus“ para se pensar:

O pum e a sociedade:

Profissionais do peido – conhecidos como flatulista, esses profissionais da época medieval eram capazes de controlar seus intestinos de forma a peidar quando e como quiserem, podendo mesmo, segundo Santo Agostinho produzir um efeito musical. Le Pétomane foi um flatulista francês que viveu até 1945 que era capaz de “tocar” La Marseillaise, entre outros. Chegando a se apresentar para reis da Bélgica e Reino Unido, e para Sigmund Freud. Atualmente existe o Mr. Methane, um britânico que peida.

O pum e a física:

Velocidade do pum: 3m/s Quanto precisaria peidar para sair do chão: considerando alguém de 63,5kg, seria necessário um pum equivalente à 18% da velocidade da luz.

O pum e o corpo:

Metil-mercaptano: responsável pelo odor do pum e também do mau-hálito, esse gás incolor, fétido e tóxico é uma substância naturalmente encontrada no nosso organismo, mais especificamente no cérebro e sangue.

Karina De Oliveira Brandão, bióloga pela USP, mestre pela Universidade Livre de Bruxelas, Bélgica.

Deixe uma resposta