POR QUE NÃO EXISTEM DESERTOS NO BRASIL?

Desertos são regiões quentes ou frias, caracterizadas por ter pouca água em estado
líquido disponível. Por ter pouca água no estado líquido, a biodiversidade de plantas e animais é baixa, visto que apenas poucas espécies de plantas e animais conseguem sobreviver e são adaptadas a essa escassez de água.

Os desertos são formados por conta do ar seco que vem dos trópicos, que não é muito úmido e faz com que seja necessária a captação da água do solo para a sobrevivência dos organismos, resultando na escassez de água. Isso normalmente acontece em locais com latitude (distância em graus de qualquer ponto da Terra em relação à linha do equador) a 30° ao sul ou ao norte. No mapa, é possível observar que o Brasil possui regiões a 30° de latitude, ao sul do país, o que poderia ocasionar a formação de um deserto e a região Sudeste seria a região mais seca e propícia para essa formação, porém isso não acontece graças ao Norte do país. Na Amazônia, ocorre um fenômeno conhecido por “rios aéreos”, que consiste no fluxo aéreo de água em forma de vapor, que vem das áreas tropicais do Oceano Atlântico e da umidade evaporada pelo sol na Amazônia. A Floresta Tropical possui uma alta taxa de evapotranspiração, ou seja, a água da superfície terrestre é carregada até a atmosfera em forma de vapor. Isso, em soma com o fluxo aéreo de vapor, colabora com a formação de rios aéreos. São eles os responsáveis por carregar água para as regiões Sul e Sudeste, deixando o ar mais úmido e impedindo que desertos se formem. Além disso, os rios aéreos são de extrema importância para a manutenção da biodiversidade do nosso país.

Regiões tropicais são conhecidas pela sua riqueza de biodiversidade, ou seja, pela quantidade de espécies diferentes que podemos encontrar naquele local. Locais com muita água são reservatórios de fauna e flora muito diversa, já que as plantas conseguem sobreviver nesses locais e, como produtores primários (primeira fonte de obtenção de alimento de diversos organismos), elas mantêm o ecossistema funcionando. Portanto, quanto maior é a diversidade de plantas, maior será a diversidade de animais também.

O Brasil está em uma Região Tropical favorável, com privilégios quando falamos de recursos hídricos. Porém, na medida que as consequências do aquecimento global se agravam, todo o regime de chuvas e evapotranspiração pode ser comprometido, fazendo com que as regiões Sul e Sudeste sofram com ondas de calor intensas e, em um pior cenário, pode apresentar características de um processo de desertificação devido a ausência dos rios aéreos.

Para evitar que isso ocorra, devemos trabalhar juntos para amenizar as consequências do aquecimento global. Coisas simples como utilizar transporte público, produzir menos lixo e consumir mercadorias de pequenos produtores da sua cidade já fazem toda diferença. Preservar a Amazônia significa preservar a nossa biodiversidade, mesmo para quem vive bem longe dela.

Disponível em: http://fenatema.org.br/noticia/desmatamento-na-amazonia-vai-provocar-grande-seca-no brasil/5585

Beatriz de Faria Alonso é graduanda em Ciências Biológicas pela Universidade Federal de Viçosa – Campus Rio Paranaíba.